Universidade de MG punirá alunos que não forem a palestras sobre Gênero

A Universidade Federal de Lavras (UFLA), em Minas Gerais, será processada por obrigar os novos alunos a assistirem as atividades do programa de “recepção de calouros”, que inicia no próximo dia 13 e vai até o 16.

Segundo a resolução da universidade, datada de 21 de março de 2007, em seu Art. 49: § 1° “O estudante que deixar de comparecer às atividades de recepção de calouros será automaticamente desvinculado do curso e da Universidade”.

Ou seja, para que esses ‘calouros’ não percam a vaga, eles terão que participar dos eventos, inclusive os do dia 14 que só terá palestras sobre ideologia de gênero e sexualidade. As opções são: “Gênero e Sexualidade”, “Gênero e Trabalho”, “Questões de Gênero” e “História das Lutas do Movimento LGBT”.

Outros temas propostos, alinhados à agenda de esquerda, são: “A Política de Cotas na Universidade Brasileira” e “Controle Social e Garantia de Direitos”.

A Associação Escola Sem Partido, que luta contra a doutrinação ideológica nas escolas e universidades, tomou conhecimento do assunto e entrou com uma ação na Justiça para impedir que os alunos sejam expulsos, caso não participem.

O argumento principal da ação protocolada na Justiça Federal em Brasília é que essa imposição é um critério a mais além do vestibular, o que não torna a prática abusiva da Universidade.

“Não é possível deixar de reconhecer aos calouros da UFLA o direito à objeção de consciência relativamente à participação nas oficinas”, diz trecho da ação.

Via JM Notícia

Comentários

Comentários

, , ,