Padre Fortea propõe aos bispos e sacerdotes um exorcismo magno na Nicarágua

O famoso teólogo espanhol Padre José Antonio Fortea, especialista em demonologia, propôs celebrar um “grande exorcismo” na Nicarágua, porque “a raiz mais profunda de todo mal é sempre espiritual”.

“Um grande exorcismo nacional não acabará com todos os males; mas, pelo menos, serão afastados os demônios dessas terras. E isso não é pouca coisa. Seria uma grande ajuda nessa situação de agitação nacional”, escreveu ele em um artigo recente.

A cerimônia proposta pelo Padre Fortea é detalhada em seu livro El Exorcismo Magno.

Com a orientação do Pe. Fortea e sob a direção dos bispos, exorcismos magnos foram realizados em diferentes países, incluindo o México.

O padre espanhol tem criticado o governo de Daniel Ortega na Nicarágua. Numa carta recente, o padre Fortea descreveu o presidente como um “ditador” e ordenou que “fuja para a casa que tem fora daquela terra que chama sua pátria”.

Ortega, que governa a Nicarágua desde 2007, vive uma grave crise desde abril deste ano, que já resultou em mais de 300 mortes.

Os manifestantes contra Ortega foram violentamente reprimidos. Além disso, em 9 de julho, um grupo de paramilitares ligados ao governo atacou física e verbalmente o arcebispo de Manágua, cardeal Leopoldo José Brenes; o Bispo Auxiliar de Manágua, Dom Silvio José Báez; e o Núncio Apostólico, Dom Waldemar Somertag.

Padre Fortea explicou que sua proposta é porque “os problemas que existem na Nicarágua (como os da Venezuela, México, Bolívia e outros lugares) não são apenas materiais, políticos ou econômicos. A raiz mais profunda de todo mal é sempre espiritual”.

Além disso, ele enfatizou que, com a celebração desta cerimônia, “as pessoas terão a impressão de que os bispos e seus sacerdotes se reúnem para fazer algo específico para uma situação peculiar. Um ritual incomum para um infortúnio incomum”.

“Este aspecto psicológico não é de forma alguma o mais importante. Mas também não devemos desprezá-lo: as pessoas precisam de rituais, cerimônias. De cerimônias alegres, como a coroação de um rei. De cerimônias pesarosas, como todo ritual dos novendiais pela morte de um Sumo Pontífice”, disse ele.

“Em Fátima, não podemos esquecer, a Virgem, uma das coisas que ela pediu foi uma procissão. Algo que pareceu muito humilde, mas não devia ser pouco importante, pois ela quem pediu isto.

O sacerdote espanhol disse que “um exorcismo nacional teria um efeito sobre o mundo invisível dos espíritos malignos”.

“Estou surpreso em ver como o Mal se espalhou por toda a América Latina nos últimos vinte anos. É óbvio. Algo que está acontecendo em mais e mais países: crime desencadeado, países que perdem suas liberdades, crescente corrupção em outras nações, idéias neocomunistas que voltam”.

“Sem contar todo o secularismo da Europa que desembarcou e já contaminou grande parte da população. Com o qual, toda a luta de gênero é reproduzida lá”, disse ele.

Padre Fortea destacou que a celebração de “um grande exorcismo em um país pode ajudar muito”. No entanto, ele disse, essa melhora “será apenas uma pausa. Porque é todo o Ocidente que se move contra o cristianismo”.

Fonte: ACI Prensa

Comentários

Comentários

About Pe. Augusto Bezerra

View all posts by Pe. Augusto Bezerra →