Quão bela é a modéstia

“Quão bela é a modéstia e que pedra preciosa ela é entre as virtudes!”

Isto posto é necessário, por um lado, lançar uma verdadeira luz sobre o assunto e exortar todos à beleza da modéstia, das alegrias que se dá aos céus, quando uma pessoa se porta com o verdadeiro pudor e moral, de filhos de Deus. De fato, é necessário, até mesmo com severidade, conduzir o mundo de volta ao caminho desta santa virtude.

A Santa Igreja e os seus anjos a saúdam com os títulos de Rainha dos céus e da terra, aquela que na pureza infante trouxe em seu seio o filho do Deus vivo. Inúmeros são os títulos que com grande piedade a ela são coroados, na piedade dos fiéis que para a Virgem Maria se consagraram, com tão rico diadema de um milhar de pedras preciosas. Sobre todos esses títulos de glória, um é particularmente caríssimo a ela, e descreve a sua rica perfeição: Santíssima Virgem.

Nos tempos atuais alcança-se o ponto onde tudo o que acontece na vida pública e na vida privada, se é depravado e indecente, é publicado descaradamente em jornais, revistas e periódicos de todo tipo, tudo tem se tornado fugaz. Enquanto que a discrição e temperança são vistos como apenas um modismo, muito embora que por nossa catequese diária, não seja. Há quem diga que o simples e frugal são antiquados e retrógrados, usando sempre o poema fake atribuído ao Santo Padre o Papa João Paulo II “Santos de calça jeans”, e certa vez apontada ao Papa Francisco e mais uma vez, desmentida, como exemplo para mencionar suas interpretações isoladas e de vontade própria, apostatando do que a Santa Igreja de Cristo tem ensinado durante os tempos e milênios. Exemplo clássico das moças que se vestem modestamente, presando pela feminilidade e elegância, usam seu véu puído da sensatez  na dita busca pela santidade interna, que se percebe pela modéstia externa, um que complementa o outro, e é visto como nada.

Alocução de S.S. Pio XII às Meninas da Ação Católica:

Vocês que piedosamente vestem o altar e o sacrário nunca devem esquecer que carregam Deus dentro de si pela habitação da graça em suas almas. Essa presença divina faz não só suas almas, mas também seus corpos, templos sagrados. O apóstolo Paulo escreveu em sua primeira epístola aos Coríntios: “Não sabeis que vossos corpos são membros de Cristo?” Certamente vocês sabem que vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós. E que Ele é dom de Deus para vós, de forma que vós já não vos pertenceis”.

Moda e modéstia devem andar de mãos unidas, porque ambas as palavras têm a mesma etimologia, um sentido único: elas derivam do latim “modus”, e tem por significado aquilo que se mantém na “medida certa”, e qualquer desvio em uma direção ou outra é considerada não reta, não razoável, termo equivocado.“Seja a vossa modéstia conhecida de todos os homens”, bem dizia Papa Pio XII.

A modéstia faz parte da vida do cristão católico no despertar e vestir-se. Como deixa claro o Papa São Pio X, parte V, Cap. VIII, do catecismo maior: dos exercícios piedosos que se aconselham ao cristão para cada dia, n. 970. “O que deveríamos pensar ao levantar da cama, enquanto nos vestimos?”

“Ao levantar-se da cama enquanto nos vestimos, deveríamos pensar que Deus esta presente, e que este dia poderia ser o ultimo da nossa vida; ademais, devemos levantar-nos e vestir-nos com toda modéstia possível”.

Que a Santíssima Virgem das Virgens, Maria, Rainha dos céus e da terra, Mãe de Deus e dos homens, Mestra do Santo Rosário, seja o modelo e força durante toda nossa vida, como jovens mulheres católicas e, especialmente, na aspiração pela pureza, pois é ela que nos trará a redenção que há de vir.

Por: Mayara Maia Gomes

Fonte: bonjourmayara.blogspot.com

Comentários

Comentários