Cardeal Marx aprova bênção para casais homossexuais na Alemanha

O Presidente da Conferência Episcopal alemã, Cardeal Reinhard Marx aprovou a ‘bênção’ para os casais homossexuais ‘caso a caso’.

Falando à estação de rádio alemã Bavarian State Broadcasting, em 3 de fevereiro, o cardeal Marx disse que “trata-se de cuidados pastorais para casos individuais, e isso também se aplica a outras áreas, que não podemos regular, onde não temos um conjunto de regras ».

A entrevista foi realizada no quadro do décimo aniversário do cardeal Marx como arcebispo de Munique e Freising, na Alemanha.

No mês passado, o bispo Franz-Josef Bode, vice-presidente da Conferência Episcopal Alemã, pediu um debate sobre se o clero católico deveria abençoar as uniões entre pessoas do mesmo sexo.

Ele disse: “Temos que nos perguntar como nos encontramos com aqueles que formam esses relacionamentos e também estão envolvidos na Igreja, como os acompanhamos pastoral e litúrgicamente”.

No outono passado, os primeiros casamentos homossexuais ocorreram na Alemanha, após uma votação parlamentar em junho para permitir o casamento do mesmo sexo.

As declinações do cardeal Marx contradizem o ensino da Igreja que reconhece que ensina que as pessoas homossexuais “são chamados à castidade” e que os atos homossexuais “não podem receber aprovação em nenhum caso “.

§2357 – “A homossexualidade designa as relações entre homens e mulheres que sentem atração sexual, exclusiva ou predominante, por pessoas do mesmo sexo. A homossexualidade se reveste de formas muito variáveis ao longo dos séculos e das culturas. A sua gênese psíquica continua amplamente inexplicada. Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves (Gn 19,1-29; Rm 1,24-27; 1Cor 6,9-10; 1Tm 1,10), a tradição sempre declarou que “os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados” (CDF, decl. Persona humana, 8). São contrários à lei natural. Fecham o ato sexual ao dom da vida. Não procedem de uma complementaridade afetiva e sexual verdadeira. Em caso algum podem ser aprovados”.
Lv 18,22: “Não te deitarás com um homem como te deitas com uma mulher. É uma abominação”.

§2358 – “Um número não negligenciável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais profundamente enraizadas. Esta inclinação objetivamente desordenada constitui, para a maioria, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza.  Evitar-se-á para com eles todo sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar a vontade de Deus em sua vida, e se forem cristãs, a unir ao sacrifício da cruz do Senhor as dificuldades que podem encontrar por causa de sua condição”.

§2359 – “As pessoas homossexuais são chamadas à castidade. Pelas virtudes de autodomínio, educadores da liberdade interior, às vezes pelo apoio de uma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem se aproximar, gradual e resolutamente, da perfeição cristã”.

Fonte: InfoCatólica

Comentários

Comentários

About Pe. Augusto Bezerra

View all posts by Pe. Augusto Bezerra →