Porta-voz do Facebook se pronuncia e pede desculpas sobre censura às páginas católicas

Siga-me em minhas redes sociais

Há pouco, chegaram informações por fontes nossas dos EUA através da Church POP, que em resposta oficial a um email da ACI Prensa (link) destinado à diretoria do Facebook, um porta-voz da empresa respondeu o seguinte:

“As páginas foram restabelecidas. O incidente foi ocasionado acidentalmente por um mecanismo de detecção de spam na plataforma. Pedimos sinceras desculpas pelos inconvenientes que isto possa ter lhes causado” – Representante do Facebook.

Alguma desculpa já é algo significativo e um avanço. Porém, a detecção de spam só apanhou páginas cristãs e conservadoras? Ora, eu não tenho a obrigação de acreditar nessa justificativa esfarrapada.

Mas adivinhem qual foi a palavra ocasionadora da confusão, segundo o Facebook! Por mais absurdo que pareça, foi o termo “Amém”.

A cara da censura foi estampada na maior rede social do mundo, que por suas atividades nos leva a acreditar de fato que existe um ativismo odioso aos cristãos dentro da corporação, e especialmente aos católicos. Será que teremos que sair do Facebook e migrarmos todos juntos levando os nossos seguidores para alguma rede social concorrente? Quem quiser ser o novo bilionário do pedaço, corra para criar uma rede inovadora que garanta o direito de liberdade de expressão dos cristãos. Ou potencializemos uma concorrente  que seja capaz de nos dá o uso de nossos direitos religiosos.

Comentários

Comentários