Você sabia que hoje é o dia da Padroeira da Petrobrás, Nossa Senhora das Candeias?

Hoje na ocasião da Festa da Apresentação do Senhor temos também celebrado o título de Nossa Senhora das Candeias ou da Candelária, ou ainda, da Luz. É o dia da padroeira da Petrobrás fundada sob esta consagração ao título de Nossa Senhora das Candeias.

A empresa vem se recuperando de um tempo extremamente atribulado, e nisto está uma razão para de um modo muito particular acorrer a sua intercessão pedindo auxílio de Deus para prover mediante as necessidades do nosso povo por meio desta grande empresa que administra as riquezas de nossa nação, elas que sempre deveriam ter sido usadas para o bem comum de nosso povo. Pedimos também neste dia pelos seus funcionários e pela sabedoria dos governantes.

Inscreva-se para receber nossas atualizações: Clique Aqui 

Mas, agora, vamos a história desta devoção. Primeiro, quais são as suas origens na Igreja? Depois, como veio a se tornar a padroeira do Petrobrás?

As origens da devoção

A devoção à Nossa Senhora das Candeias tem sua origem numa inspiração bíblica e na tradição da Igreja.

No Antigo Testamento, nos livros do Êxodo (Ex 13,2) e do Levítico (Lv 12,1-8), a Lei de Moisés prescreve a apresentação de todo filho varão primogênito no Templo de Jerusalém e a purificação da Mãe 40 dias após o nascimento do menino.

Já no Novo Testamento, no evangelho de São Lucas (Lc 2,22-39) Maria e José, em fidelidade à Lei, se dirigem ao Templo e apresentam Jesus. Neste episódio o justo Simeão profetiza: “Este Menino é Luz para iluminar as nações”.

Desde o séc. V a Igreja celebra a festa da Apresentação de Jesus e da Purificação de Nossa Senhora, no dia 02 de fevereiro, 40 dias após o Natal (25 de dezembro), nascimento de Jesus.

Um momento solene da festa é a procissão de fiéis, com velas, imitando a peregrinação de Maria que leva o Menino Luz ao Templo. No séc. XIII esta devoção já aparece na Europa com os títulos sinônimos de Nossa Senhora das Candeias (velas), Nossa Senhora da Candelária (Candeias em latim) e Nossa Senhora da Luz, celebradas também em 02 de fevereiro.

Os portugueses e espanhóis trouxeram esta tradição para a América Latina. No Brasil, várias capelas e paróquias existem com estes títulos.

Há mais de três séculos, no Recôncavo Baiano, junto à Bahia de Todos os Santos, os jesuítas já zelavam por uma capela dedicada a N.S. das Candeias no alto de uma colina onde hoje está um santuário no município de Candeias. É antiga a sua fama de milagres como a cura de uma menina que não tinha a luz dos olhos.

Em sonhos, Nossa Senhora apareceu à menina indicando lavar os olhos na fonte junto à capela. A mãe levou a menina à fonte e o milagre se realizou conforme o sonho.

O santuário é o principal pólo religioso da região onde surgiram os primeiros campos de petróleo e a primeira refinaria do Brasil e da Petrobrás. A devoção popular é grande, com contínuos testemunhos de milagres, e muitas peregrinações se realizaram ao longo dos séculos, da capital e do interior, por meio de barcos, ônibus, a cavalo e a pé, até os dias de hoje, principalmente no período da festa, final de janeiro e início de fevereiro, culminando com grande festa celebrada em 02 de fevereiro.

A devoção de N.S das Candeias como Padroeira da Petrobrás

A Petrobrás iniciou suas atividades na Bahia, em 1953, tendo como centro de operações o campo de Candeias, primeiro campo com produção comercial do Brasil, produzindo desde 1947 até hoje um petróleo de excelente qualidade. A primeira refinaria da empresa, Refinaria Nacional de Petróleo, hoje RLAM, entrou em operação em Mataripe, localidade junto a Candeias. Naquela época, muitos empregados (petroleiros) moravam na Vila de Mataripe e freqüentavam o santuário de Candeias.

A pedido dos petroleiros, Frei Rufino, do Mosteiro de São Francisco do Conde, vizinho a Candeias, consagrou a Petrobrás a Nossa Senhora das Candeias.

Este fato era lembrado nos eventos de Páscoa da empresa e do santuário de Candeias.

A devoção se disseminou nos primeiros tempos. Imagens da santa eram encontradas nos edifícios da empresa em Salvador, Rio de Janeiro e Cubatão-SP, na RPBC, segunda refinaria, de 1955. Dom Idílio, que de 1943 a 1966 foi Bispo de Santos, diocese responsável por Cubatão, compôs oração consagrando o petróleo brasileiro a N. S. das Candeias, oração gravada em placa junto a imagem da santa que está lá desde o início da RPBC, e é tradição a confiança da proteção da santa para a segurança dos trabalhadores. No museu da Fronape, frota de navios da Petrobrás, no RJ, há um oratório com a imagem de N.S. das Candeias, com a placa de protetora dos petroleiros. A primeira Sede nacional da empresa, onde atuava o seu presidente e a diretoria até o início dos anos 70, era localizada na Praça Pio X, no Rio de Janeiro, em frente à famosa Igreja N.S. da Candelária. Era só atravessar a Av. Getúlio Vargas, nome do fundador da empresa, para orar no templo cujo nome em latim tem o mesmo significado de N.S das Candeias. As bênçãos da santa sempre estiveram próximas da empresa.

Esta estampa divulgada pelo santuário de Candeias-BA, contém a santa que apresenta Jesus, o Menino Luz, e imagens do santuário no alto da colina, além de uma torre de petróleo no canto inferior esquerdo. Do santuário se podem avistar os campos de petróleo e gás, a RLAM, o Temadre, ativos de importantes áreas de negócio sob os olhos e bênçãos de Nossa Senhora.

Os produtos da empresa são utilizados para gerar energia e luz, além da parafina utilizada na fabricação de velas (candeias). Pelo Brasil e pelo mundo, em cada plataforma, em cada refinaria, em cada campo de óleo e gás da Petrobrás, encontramos uma tocha que ilumina os céus, e nos lembra N.S. das Candeias, que apresenta o Menino Luz que ilumina as nações.

A mensagem do ícone e a benção da santa, desde os primórdios da empresa, estimulam que cada petroleiro, que cada devoto, apresente ao mundo o melhor que Deus lhe confiou, para que a luz alcance a todos.

Comentários

Comentários