“Eu estou cansada de ser uma fábrica de bebês que produz mais homens, então a única resposta para isso é matar bebês e matar qualquer homem que você vê na rua”, diz Jenny McDermot.

A youtuber Jenny McDermott, conhecida por ter uma longa história de controvérsias, e que inclusive já teve o seu canal de vídeo no YouTube removido, foi longe demais com o seu “feminismo” e convocou através de um vídeo as pessoas para “matar todos os homens.” “Eu estou cansada de ser uma fábrica de bebês que produz mais homens , então a única resposta para isso é matar bebês e matar qualquer homem que você vê na rua. Queremos que a espécie continue, mas apenas com as mulheres. Então é isso que nós temos que fazer”, assegurou.

O vídeo, que foi visto por 200.000 pessoas, tem gerado muitas críticas em redes sociais por fomentar o ódio aos homens. A maioria dos internautas têm apontado para o fato de que “defender o assassinato é crime e que sem os homens a espécie morreria”.

Inscreva-se para receber nossas atualizações: Clique Aqui 

Não é a primeira vez que o feminismo pede para “matar todos os homens” através das redes sociais. No Twitter houve uma explosão de mensagens com os #killallmen ‘hashtag’ em que pedia para matar os homens porque “estragam as noites de festa” e que ainda detalhava sobre a forma como devem ser conduzidas tais execuções, descartando o uso da apunhalamento com faca por ser “muito desalinhado” e optando por “um tiro com arco”. “Eu não apoio que matá-los, até porque alguns deles são meus melhores amigos, mas os homens sendo reduzidos para um em cada quatro iria resolver muitos dos problemas da sociedade “, disse uma internauta.

Em alguns países, as feministas radicais têm tornado popular o slogan “em caso de dúvida, seja viúva”. Ademais, eles asseguram que a expressão “matar o seu marido” não promove o ódio ou o assassinato de homens, mas a “auto-defesa contra o patriarcado” um conceito que eles chamam de organização social baseada na família tradicional.

Fonte: InfoVaticana

Comentários

Comentários