Washington, DC – O vice-presidente Mike Pence deu uma mensagem clara no seu discurso na 44a Marcha pela Vida no dia de hoje: “A vida venceu novamente na América.”

Pela primeira vez na história americana, um vice-presidente dos Estados Unidos discursou na Marcha anual pela Vida que acontece no Capitólio. Ele falou a centenas de milhares de pró-vidas reunidos para defender a vida.

“É um dia bom, é o melhor dia que eu já vi para a Marcha pela Vida, em mais de um sentido”, disse Pence à multidão.

Pence, citando a famosa insistência da Declaração de Independência sobre os direitos “à vida, à liberdade e à busca da felicidade”, disse que “há 44 anos nossa Suprema Corte se afastou do primeiro desses ideais intemporais”.

“Mas hoje, depois de três gerações, por causa de todos vocês, e dos muitos de milhares que estão conosco em marchas como esta em toda a nação, a vida está ganhando novamente na América”, disse ele.

Pence disse que é evidente que a vida está ganhando com a eleição de “maiorias pró-vida e do Congresso dos Estados Unidos da América” ​​e, especialmente, com a “eleição histórica de um presidente que defende uma América mais forte, uma América mais próspera, e um presidente que eu digo orgulhosamente ser representante do direito à vida, o presidente Donald Trump”, disse ele.

Inscreva-se para receber nossas atualizações: Clique Aqui 

A Marcha pela Vida acontece todos os anos em Washington, DC. Centenas de milhares de homens, mulheres e crianças manifestam-se pacificamente contra a decisão da Corte Suprema Roe v. Wade de 1973 que legalizou o aborto nos EUA. Os manifestantes lutam pelo que os organizadores do evento chamam de “mundo onde cada vida humana é valorizada e protegida”.

Esta foi a primeira vez que o segundo no comando da nação participou da Marcha em seus 44 anos de existência.

Pence havia prometido aos pró-vidas durante a campanha presidencial de Trump que ele seria seu representante na Casa Branca, particularmente no enfrentamento frente a Planned Parenthood, bem como trabalhando para derrubar por meios legais a decisão favorável ao aborto em 1973 no caso Roe v. Wade.

“Deixem-me assegurar-vos que a administração Trump / Pence defenderá a sacralidade da vida e defenderá os que não nasceram desde o primeiro dia em que tomarmos posse”, disse ele na Values ​​Voter Summit, em setembro. “Quero viver para ver o dia em que colocaremos a sacralidade da vida de volta no centro da lei americana e enviaremos por fim Roe v. Wade para o monte de cinzas da história”, acrescentou.

Sob o relógio de Pence, o governo Trump está começando a cumprir suas promessas.

Em seu primeiro dia de trabalho na Casa Branca na segunda-feira, Trump assinou uma ordem executiva restabelecimento da “Política da Cidade do México”, que proibiu o financiamento do governo dos grupos pró-aborto no exterior como a Federação Internacional de Planejamento Familiar.

No dia seguinte, a Câmara dos Representantes dos EUA votou em grande maioria para proibir permanentemente financiamento do contribuinte do aborto em solo americano. No mesmo dia, o secretário de imprensa de Trump, Sean Spicer, prometeu uma “forte presença da Administração” na March for Life.

O Presidente Trump  criticou a grande mídia durante uma entrevista à ABC News na quarta-feira por cobrir o evento pró-aborto março para as mulheres, enquanto sempre ignoraram a marcha anual para a Vida, que inclusive é muito maior. Ele fez comentários semelhantes novamente numa reunião do congresso republicano em Filadélfia ontem.

A presidente da Marcha para a Vida, Jeanne Mancini, disse estar “encantada” com o apoio sem precedentes que o novo governo Trump está dando à Marcha Anual pela Vida esta semana.

“Nunca vimos nada assim em toda a nossa vida”, disse ela a LifeSiteNews em uma entrevista ontem.

“Esperemos que mostre o que podemos esperar nas próximas semanas e meses”, acrescentou.

Fonte: LifeSiteNews

Comentários

Comentários