Rio de Janeiro – 23 jan, 2017 – Hoje o presidente Trump assinou diversas ordens executivas. Dentre elas está uma que abala toda a indústria abortista pelo mundo. Ele ordenou o bloqueio a todo investimento de dinheiro público em ONGs abortistas espalhadas pelos EUA e pelo mundo afora.

“A medida — inicialmente estabelecida pelo então presidente Ronald Reagan em 1984 — bloqueia o financiamento federal a organizações internacionais de planejamento familiar que realizam abortos ou promovem o procedimento ao oferecer informações a pacientes sobre o tema. Desde que a política foi criada, entrou na batalha política dos EUA: os democratas a suspenderam e os republicanos a reestabeleceram.

(…) Ao tomar posse em 2009, Obama rescindiu da medida. Agora, com o novo governo republicano de Trump, os democratas rapidamente responderam à mudança e criticaram o presidente”.

A suprema corte pró-vida de Trump

(…) “O novo presidente apressou-se em nomear à Supremo Corte um juiz ferozmente contrário ao aborto, destacando que esta nova relação de poder na alta jurisdição poderia desembocar “automaticamente” na anulação da sentença do caso “Roe v. Wade”, que legalizou o aborto nos Estados Unidos em 1973″.

Um vice-presidente, um católico convicto

“O vice-presidente, Mike Pence, também é um forte crítico do aborto. Enquanto era governador de Indiana, passou diversas leis para restringir o procedimento”. Ele é conhecido por seu trabalho pró-vida junto a ala cristã estadunidense e por muitos outros meios protetivos da família aos quais sempre se dedicou.

Uma bomba nuclear sobre a indústria abortista

Ora, hoje o mundo pró-vida começou a ganhar num vasto campo de batalha. E as ações de Trump são como uma bomba nuclear sobre toda a indústria infanticida e abortista que promove por todo o globo a cultura de morte levando a milhões de mortes de crianças inocentes a cada ano.

Comentários

Comentários