A tragédia não escolhe pessoas e o sofrimento é um mistério

Rio de Janeiro – 29 nov, 2016 – O sofrimento é um verdadeiro mistério ao homem. E quando nos deparamos com uma tragédia como a ocorrida nessa madrugada na queda do avião da equipe de futebol Chapecoense na qual 75 mortes foram confirmadas e outros 6 tripulantes ficaram gravemente feridos, entramos numa espécie de aporia, isto é, não temos que dizer para explicar o sentido do nosso assombro. Calamos, rezamos, consolamos, manifestamos nossa dor, nosso pesar, mas sobre o sentido do fim repentino e trágico de dezenas de vidas suspendemos todo juízo, pois o que temos a argumentar? Parece que a própria razão entra em luto nos proibindo esboçar qualquer explicação.

Nas Escrituras, o livro de Jó nos mostra um homem justo que sofre perdendo tudo que era seu, todos os familiares, e praticamente todos os empregados numa sucessão de desgraças. Depois lhe aparecem na história os seus amigos que tentaram de todos os modos buscar uma explicação para o sofrimento dele. Estes homens inconvenientes que ao invés de consolar, permanecer ao lado, ajudar no que podiam, preocupavam-se com juízos que atormentavam o padecente. Os amigos se tornaram um outro peso ao coração de Jó porque esqueceram o amor em vista da razão, foram frios com as suas lágrimas, queriam apenas entender sem se compadecer. Deus repreendeu os seus argutos amigos dando a seu servo justo o atestado de sua boa conduta depois de ter sido duramente chagado por acusações e culpas.

Ora, o que Deus quis nos mostrar por essa história? Que ainda que tentemos explicar, o sofrimento permanecerá um mistério o qual devemos encarar com sabedoria.

Jesus, Deus Santo, experimentou na sua paixão uma dor atroz, violenta e injusta. Enquanto cristãos sabemos do significado de tudo isso pela obra da Redenção realizada em nosso favor. Contudo porque teve que ser assim, e não de outro modo, permanece um mistério reservado a uma espécie de ciência divina que não possuímos agora, que somente poderemos ter acesso ao chegarmos à eternidade na visão de Deus, a que chamamos também de beatífica.

É verdade que essa não é a única tragédia que nos marca agora. Vivemos na nossa nação uma tragédia diária de violência, mortes, crimes e corrupção. Há gente que se vale disso para desmerecer o luto de tantos pelo que aconteceu a estes compatriotas que iam para o seu trabalho esportivo na Colômbia a fim de participar de torneio internacional. Não podemos nos acostumar com o mal. Ser frios diante da dor dos outros por conta do que já padecemos diariamente. Nada é pior do que banalizar o sofrimento humano. Isso revela a impiedade do coração do indiferente que não se importa com a dor dos outros.

Sim. Ficamos todos de luto pois esta tragédia nos impacta. Convidamos a todos a orarem pelos familiares das vítimas desse acidente, pelos que morreram, e também pelos que se encontram gravemente feridos necessitados de cuidados médicos.

A Virgem Maria, Mãe das Dores, os console, e Deus envie o seu Espírito Santo os livrando de todo mal.

Pe. Augusto Bezerra

Comentários

Comentários