ONU adverte ao Reino Unido: levar crianças a cultos cristãos fere os direitos humanos

Os britânicos devem parar de forçar as crianças a participar de assembléias escolares cristãs, porque isso prejudica os seus direitos humanos, afirmou uma comissão das Nações Unidas em um novo relatório controverso.

Os autores pediram que os ministros revoguem uma lei exigindo um ato diário de culto cristão nas escolas, pois pode contradizer a “liberdade de pensamento, consciência e religião” de uma criança.

O relatório foi produzido por um grupo de 18 pessoas de “peritos independentes” de “alto caráter moral”, incluindo representantes do Bahrain, Rússia e Egito.

Os críticos classificaram a demanda como “ridícula” e disseram que o governo deveria responder “respeitosamente” e colocar o relatório “no lixo”.

Foi apenas uma das 150 recomendações sobre como a Grã-Bretanha poderia estar violando a Carta das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança.

Relatório da ONU sugere à Grã-Bretanha proibir os pais de baterem em seus filhos

O relatório também pediu ao governo para proteger as crianças de apanharem de seus pais, e que deve haver maior pressão e uma linha mais dura sobre o abuso doméstico.

Uma seção do relatório diz: “O Comitê está preocupado que os alunos são obrigados por lei a participar de um culto religioso diário, que é “total ou principalmente de um caráter amplamente Cristão ‘nas escolas com financiamento público na Inglaterra e no País de Gales, e que as crianças não tem o direito de se retirar de tal adoração sem autorização dos pais”.

Ele acrescentou: “O Comitê recomenda que o Estado passe a revogar disposições legais para a frequência obrigatória no culto coletivo nas escolas com financiamento público e garantir que as crianças podem exercer autonomamente o direito de retirar-se do culto religioso na escola.”

Isso provocou uma reação de Tory MPs. David Burrowes, o Enfield Southgate MP liderarou uma reação imediata. Tory disse que isso era “ridículo e louco”.

“O ato coletivo de adoração não é um exercício de doutrinação. Ele está reconhecendo e respeitando a herança cristã do país e dar às pessoas uma oportunidade para refletir antes do início do dia “, disse ele ao The Telegraph.

“A ONU deveria passar mais tempo fazendo o seu principal trabalho de prevenção da guerra e do genocídio, em vez de cutucar o nariz em salas de aula de outros países. Podemos respeitosamente colocar esse tipo de relatórios no lixo a que pertencem “.

Pavan Dhaliwal, diretor da British Humanist Association, disse: “O estado UK falha com seus jovens de demasiadas formas hoje. Quase exclusivamente entre os países economicamente desenvolvidos, segrega-os nas escolas ao longo de linhas religiosas.

Ela acrescentou: “Estamos satisfeitos de ver a ONU concorda conosco que a lei britânica precisa mudar”.

PSX_20160801_125713

Fonte: Telegraph

Comentários

Comentários

8 comentários sobre “ONU adverte ao Reino Unido: levar crianças a cultos cristãos fere os direitos humanos”

  1. Gostaria de ver alguém que bate em uma criança, pais, serenos. …em geral estão irritados, descontrolados, falta conhecimento e apoio para lidarem com os filhos!

  2. Edurio existe uma diferença entre tapinhas leves/cintas com espancamentos. E quando um filho comete erros, não se deve encarar como algo bom, algo legal, devemos tratar como algo sério e não adequado. Não devemos sorri ou passar a mão na cabeça, diante de um erro.

  3. Esta certo, uma lei exigindo um ato diário de culto cristão nas escolas é ridícula e absurda……….me parece bastante óbvio que as escolas que quiserem ter o tenham, as que não quiserem ter não o tenham…………..ponto……….cabe cada pai escolher o que considera melhor ao filho, dentre as milhares de opções possíveis………..o que a ONU diz, e que entendi pelo seu post, é que a lei fere a liberdade de pensamento religioso, e fere, esta certo (como eu odeio concordar com a ONU)………a lei não pode impor um determinado pensamento religioso para todas as escolas……….simples assim………..e claro que não devemos sorrir e passar a mão na cabeça de uma criança quando ela comete erros, seria tão absurdo quanto dar uns tapinhas de leve nela………usar uma cinta, chinelo, pau para isso seria uma atitude realmente cretina……….se descambar para o espancamento sai das mãos da polícia da família (vulgo conselho tutelar) direto para um tribunal civil (por fim cadeia)…………é isso aí!

  4. O sereno a que me referi,vou citar…”Estou perdendo a paciência”…”Já falei para não fazer isto,vou te bater”! Por exemplo,sabe-se que uma criança até os 2 anos aproximadamente,não tem entendimento da palavra não,negativa,ela só entende se for tirada daquilo que não queremos que faça,e não uma única vez,várias,até assimilar,o que é normal para esta fase,e por desinformação,muitos o “tapinha’ na mão…..se se sabe disto reduz o stress dos pais e não provoca um sofrimento sem necessidade!

  5. Ou este tal de Pavan Dhaliwal, diretor da British Humanist ė um cômico, ou mulçumano, ou ateu, ou retardado mesmo, propror uma ignorância desta.
    Será que irá sugerir ( impor ) tb para os muçulmanos a mesma “lei” ????

  6. Agora entendi porque os Papas não queriam hereges na condução de certos organismos, inclusive de nações. Seria o fim de toda civilização tal como é hoje.

  7. A ONU é a potência do Anti-cristo. Se preparem, pois o mundo verá muitas coisas aterrorizadoras sendo de autoria da ONU. O fim está próximo. O mundo está acabando.

  8. Porque a ONU não manda uma cartinha dessas para os países islâmicos, ou para os muçulmanos parar de impor sobre os ensinamentos do Alcorão as crianças, dizendo que ensinar sobre Maomé fere também os direitos.
    Falar sobre cristão é fácil, quero ver criticar os radicais islâmicos. Falar contra Maomé ou o Alcorão.
    ONU, vai tomar na ONU que vocês já que não tem o que fazer.

Comentários estão fechados.