Liturgia Diária Comentada – 19 de junho de 2011

SOLENIDADE DA SANTÍSSIMA TRINDADE

Primeira leitura (Êxodo 34,4b-6.8-9)

Naqueles dias: 4bMoisés levantou-se, quando ainda era noite, e subiu ao monte Sinai, como o Senhor lhe havia mandado, levando consigo as duas tábuas de pedra.
5O Senhor desceu na nuvem e permaneceu com Moisés, e este invocou o nome do Senhor. 6Enquanto o Senhor passava diante dele, Moisés gritou: “Senhor, Senhor! Deus misericordioso e clemente, paciente, rico em bondade e fiel”.
8Imediatamente, Moisés curvou-se até o chão 9e, prostrado por terra, disse: “Senhor, se é verdade que gozo de teu favor, peço-te, caminha conosco; embora este seja um povo de cabeça dura, perdoa nossas culpas e nossos pecados e acolhe-nos como propriedade tua”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Daniel 3,52-56)

Refrão: A vós louvor, honra e glória eternamente!

— Sede bendito, Senhor Deus de nossos pais.
— A vós louvor, honra e glória eternamente!
— Sede bendito, nome santo e glorioso.
— A vós louvor, honra e glória eternamente!
— No templo santo onde refulge a vossa glória.
— A vós louvor, honra e glória eternamente!
— E em vosso trono de poder vitorioso.
— A vós louvor, honra e glória eternamente!
— Sede bendito, que sondais as profundezas
— A vós louvor, honra e glória eternamente!
— E superior aos querubins vos assentais.
— A vós louvor, honra e glória eternamente!
— Sede bendito no celeste firmamento.
— A vós louvor, honra e glória eternamente!

Segunda leitura (2º Coríntios 13,11-13)

11Irmãos: Alegrai-vos, trabalhai no vosso aperfeiçoamento, encorajai-vos, cultivai a concórdia, vivei em paz, e o Deus do amor e da paz estará convosco. 12Saudai-vos uns aos outros com o beijo santo. Todos os santos vos saúdam. 13A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vós.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

Evangelho (João 3,16-18)

16Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. 17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele.
18Quem nele crê, não é condenado, mas quem não crê, já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito.

– Palavra da Salvação.
– Glória a vós, Senhor.

Comentário

“Deus amou tanto o mundo, que entregou seu Filho único, para que todo o que n’Ele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. Eis uma síntese admirável da história da salvação, cuja fonte é o “amor de Deus (Pai)”, que nos é oferecido e manifestado como “graça do Senhor Jesus Cristo”, que gera “comunhão do Espírito Santo” entre Deus e nós e entre nós em Deus.

Assim a revelação do Novo Testamento nos diz que tudo que nos vem de Deus, nos vem de seu amor paterno, de forma absolutamente gratuita por meio de Jesus, no poder unificante do Espírito Santo. Tal amor, assim manifestado, gera em nós um movimento de “ação de graças” (= “eucaristia”), e nossas graças são dadas ao Pai por Cristo no Espírito.

Assim crê a Igreja, assim ela ora e nos ensina a fazer. Assim se cumpre, de forma amravilhosa, o que Moisés pedia a Deus “caminhe meu Senhor no meio de nós, pois esse é um povo de cabeça dura. Perdoa nossa culpa e nossos pecados e acolhe-nos como propriedade tua”. Assim fez o Senhor, e assim firmou instituindo nova e eterna Aliança no sangue de Cristo. A Eucaristia, que, no poder do Espírito, apresentamos ao Pai e recebemos do Pai nos faz aminhar firmes nesta fé e na comunhão com a Trindade Santa, até que possamos contemplá-la sem véus, na eternidade, face a face.

Comentários

Comentários