Liturgia Diária Comentada – 31 de maio de 2011

FESTA DA VISISTAÇÃO DE NOSSA SENHORA

Leitura da Profecia de Sofonias (Sofonias 3, 14-18)

14Canta de alegria, cidade de Sião; rejubila, povo de Israel! Alegra-te e exulta de todo o coração, cidade de Jerusalém! 15O Senhor revogou a sentença contra ti, afastou teus inimigos; o rei de Israel é o Senhor, ele está no meio de ti, nunca mais temerás o mal.
16Naquele dia, se dirá a Jerusalém: “Não temas, Sião, não te deixes levar pelo desânimo! 17O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, o valente guerreiro que te salva; ele exultará de alegria por ti, movido por amor; exultará por ti, entre louvores, 18como nos dias de Festa. Afastarei de ti a desgraça, para que nunca mais te cause humilhação”.

— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus.

Ou (escolhe-se uma das leituras)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos (Rm 12,9-16b)

Irmãos, 9o amor seja sincero. Detestai o mal, apegai-vos ao bem. 10Que o amor fraterno vos una uns aos outros com terna afeição, prevenindo-vos com atenções recíprocas. 11Sede zelosos e diligentes, fervorosos de espírito, servindo sempre ao Senhor, 12alegres por causa da esperança, fortes nas tribulações, perseverantes na oração. 13Socorei os santos em suas necessidades, persisti na prática da hospitalidade. 14Abençoai os que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis. 15Alegrai-vos com os que se alegram, chorai com os que choram. 16bMantende um bom entendimento uns com os outros; não vos deixeis levar pelo gosto de grandeza, mas acomodai-vos às coisas humildes.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

 Salmo Responsorial (Isaías 12, 2-6)

Refrão: O Santo de Israel é grande entre vós.
O Santo de Israel é grande entre vós.

— Eis o Deus, meu Salvador, eu confio e nada temo; o Senhor é minha força, meu louvor e salvação. Com alegria bebereis do manancial da salvação.
— E direis naquele dia: “Dai louvores ao Senhor, invocai seu Santo nome, anunciai suas maravilhas, entre os povos proclamai que seu nome é o mais sublime.
— Louvai cantando ao nosso Deus, que fez prodígios e portentos, publicai em toda a terra suas grandes maravilhas! Exultai cantando alegres, habitantes de Sião, porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel!”

Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas (Lucas 1, 39-56)

 39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.
42Com um grande grito exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto de teu ventre!” 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.
46Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem.
51Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, 55conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. 56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.

– Palavra da Salvação.
– Glória a vós, Senhor.

Comentário

Maria sobe a região montanhosa para servir e amar. O ato de servir, para chegar à perfeição devidamente cristã, deve ser contigente ao amor. O amor se põe em solicitude ao próximo, considerando todas as suas necessidades. Maria exigida por esse profundo amor e alegre pelo anúncio do anjo Gabriel corre feliz ao encontro de Isabel, exulta, festeja o mistério de Deus com ela, e a serve.

Não nos faltam oportunidades para amar e servir. Pelo contrário, muitas vezes até disfarçamos não existir essas oportunas ocasiões para não se comprometer e não se sentir exigido de entregar-se ao altruísmo. Daí desse gesto de apatia nasce a indiferença, que é fruto do egoísmo de não querer sair de si para escutar, atender e socorre aos que Deus nos deu como talento para cuidar.

O amor nos conduz ao serviço, o egoísmo a esquivar-se e a ignorar a importância e valor do outro. O amor tem a capacidade de significar o que muitas vezes aos olhos humanos não tem valor algum, é desprezível, repugnante, fraco, insensato. E sabendo de toda essa potência do amor, vemos que ainda amamos muito pouco. Temos muito a trabalhar, e o serviço nos ensinará a amar até que todo ele corresponda a esse ato divino do amor. O serviço quando posto em prática com afinco, é capaz de produzir e substanciar-se no amor, e quando ambos chegam a esse encontro, o serviço torna-se reflexo de santidade.

Maria para nós é exemplo. Nossa mãe nos ensina essa disposição que nasce de um gesto otimista da vontade de simplesmente querer o que Deus quer. E o que Deus quer? Que amemos, e amando sirvamos de modo perfeito a Ele e aos homens todos, e servindo aprendamos amar de modo mais concreto sublimando essa vocação do amor à qual todo homem é chamado.

Rio de Janeiro, 31 de maio de 2011.

Antonio Augusto da Silva Bezerra.

Comentários

Comentários